sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Feliz Natal e Um 2015 Repleto de Realizações


Olá,

Hoje é o último dia de atendimento do consultório neste ano e eu gostaria de deixar aqui registrado meu mais repleto desejo de amor, paz e prosperidade a todos os amigos, colegas e pacientes que tornaram 2014 muito especial.
Nesta época do ano, como de costume, é um momento de reflexão, hora avaliar todas as coisas boas e ruins que aconteceram no ano que passou e traçar novos planos e metas para o ano que está chegando.
Por isso, desejo a todos um Feliz Natal e um Ano Novo com muita luz e sabedoria a todos.



Retomaremos as atividades dia 12/01/15.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Protetor Bucal é importante?

Quando se fala em protetor bucal, já vem a imagem de lutadores com aqueles dispositivos na boca, porém o protetor bucal é um meio de proteção dentária muito importante em qualquer esporte de contato ou que haja risco de trauma ou queda como futebol, basquete, skate, hóquei, hipismo....





Eles são confeccionados geralmente cobrindo os dentes superiores para absorver e distribuir o impacto sobre os dentes e cabeça ou diminuir a possibilidade de cortes na região, diminuindo, inclusive, os danos ao cérebro devido aos traumas na face.

No mercado existem alguns tipos de dispositivos disponíveis:

Protetores Bucais Standard: Confeccionados de forma padrão e não permitem ajuste correto na boca, ajudam na proteção mas não são os mais indicados.

Protetores Bucais Termo Ajustáveis: Encontrados em lojas esportivas e permitem certo ajuste através do aquecimento do mesmo em água quente. Melhores que o Stardard porém é necessário seguir corretamente as instruções para uma boa adaptação.

Protetores Bucais Individuais: Confeccionados sob medida para o atleta, realizado através de um molde da boca, proporciona a melhor adaptação, conforto e proteção e podem ser individualizado através de cores e desenhos conforme desejo do cliente.



Portanto, se você realiza esportes, mesmo que esporadicamente, é de crucial importância a preocupação com os dentes e estruturas adjacentes, pois ele pode ser o responsável entre a perda ou não de um elemento dentário ou danos mais sérios.


Procure seu dentista para maiores informações.



Imagens: www.google.com.br

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Enxertos Ósseos - Cada caso é um caso....



Caros amigos, colegas e pacientes,

Toda vez que perdemos um dente, seja por problema periodontal, trauma ou necessidade de extração, a região edêntula (sem dentes) sofre uma reabsorção natural e progressiva tanto na mandíbula como na maxila.

Esta perda óssea, com o passar dos anos, pode ser extremamente agressiva ao ponto de inviabilizar a reabilitação com implantes, nesses casos precisamos utilizar algumas técnicas de recuperação do volume ósseo para posterior instalação dos implantes.

As técnicas de enxerto variam dependendo do caso e da localização do defeito ósseo, tais procedimentos são bem descritos na literatura e possuem cada vez maior taxa de sucesso e menor morbidade.

O material utilizado para realização do enxerto pode ser de várias origens, desde ser do mesmo paciente ou outros seres humanos, até de origem bovina ou materiais sintéticos conforme explicação a seguir:

Osso Autógeno: osso do próprio paciente que é removido de algum outro sítio (área doadora) no momento da cirurgia e fixado na região onde necessita aumento ósseo (área receptora), são princialmente: Ramo mandibular, Mento ( osso do queixo), Tuberosidade da maxila, Crista ilíaca anterior (Quadril), Tíbia, Costela e Calota craniana

Osso Homógeno: osso humano proveniente de bancos de ossos, o material é devidamente preparado e esterilizado, sendo entregue pronto para o uso.

Osso Xenógeno: osso de origem não humana, sendo a principal origem a bovina

Materiais sintéticos: confeccionados por laboratórios específicos que visam preencher a região com necessidade e estimular a formação de novo osso.

Após a cirurgia para colocação do enxerto deve-se, em geral, esperar um tempo de integração (cerca de 6 meses) para posterior instalação do implante, porém devido a grande quantidade de material disponível e técnicas oferecidas, cada caso deve ser avaliado individualmente por um cirurgião experiente, o qual indicará a melhor forma de tratamento para a reabilitação estética e funcional da cavidade oral.

Abraços,




imagem: www.dicasodonto.com.br

sábado, 9 de agosto de 2014

Bruxismo e Dor Orofacial : Qual a relação?


Bruxismo e Dor Orofacial : Qual a relação?
Por Helaine Cardoso Martins
Cirurgiã- Dentista
CRO/PR 24.474

O termo bruxismo vem do grego “bruchein” que significa apertamento, fricção ou atrito dos dentes sem finalidades funcionais.
Os músculos responsáveis pela nossa mastigação exercem dois tipos de atividades:
1.    Atividade Funcional : inclui o ato de mastigar, falar e engolir.
2.    Atividade Não funcional ou Parafuncional: inclui hábitos nocivos, dentre eles o hábito de apertar e ranger os dentes (bruxismo). A pessoa muitas vezes se encontra num nível de stress considerável e não se dá conta de que range os dentes.
Quando sobrecarregamos os nossos músculos da mastigação com atividades que não são naturais podem ocorrer dores na musculatura mastigatória, desgaste dental por rangimento, mobilidade dental, dores de cabeça e dores de ouvido.



Figura: Principais consequências de hábitos nocivos como o bruxismo
Fonte: Netter,atlas de cabeça e pescoço (adaptado)

É muito importante que o paciente fique atento caso perceba que acorda com dor e tensão na região da mandíbula.O cirurgião- dentista deve identificar se essa dor é causada pelo apertamento ou ranger de dentes durante um sono agitado.
Uma avaliação adequada feita pelo cirurgião dentista irá determinar qual o tipo de terapia adequada.
Em resumo, uma condição oclusal satisfatória é aquela que compreende um posicionamento harmônico entre os dentes e o funcionamento adequado dos músculos orofaciais.Essas condições são fundamentais para uma função muscular saudável durante a mastigação,deglutição,fala e postura mandibular,garantindo saúde e qualidade de vida.





Referências:
NORTON, Neil Scott. Atlas de Cabeça e Pescoço.São Paulo:Elsevier Editora,2007.

OKESON, Jeffrey P. Tratamento das Desordens Temporomandibulares e Oclusão. 4ª Edição. Artes Médicas,2000.
FOTOGRAGIA www.odontobase.com.br

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Implantes Dentários - Posso fazer?



Caros amigos e pacientes,

Muita gente me pede para falar ou me pergunta detalhes sobre Implantes Dentários que, definitivamente, continua "na moda".
Hoje, eles representam a melhor e mais duradoura forma de reabilitação de elementos dentais perdidos, seja pela semelhança com dentes naturais ou pela maior comodidade ao paciente, associados a grande taxa de sucesso no tratamento.
Os implantes dentários são constituídos basicamente por um "parafuso" implantado no osso, que se assemelha com a raiz do dente, e a prótese que é parafusada ou cimentada sobre esse parafuso.
A taxa de sucesso é grande devido a biocompatibilidade do Titânio com o osso, porém muitos aspectos devem ser levados em conta para o sucesso do tratamento, inclusive a habilidade do seu Cirurgião Dentista e seu credenciamento no uso dos Implantes.
A avaliação para saber se você é um candidato para a instalação dos implantes deve ser feita pelo Dentista, através dos exames clínico e de imagem, que solicitará todos os exames que julgar necessário para o caso e definição do tratamento e sobre necessitade de algum procedimento cirúrgico auxiliar.

Apesar da biocompatibilidade, existem algumas contra-indicações para o tratamento, entre elas:

Fumantes
Diabéticos descompensados
Pacientes em tratamento radioterápico ou quimioterápico
Gestantes
Algumas doenças sistêmicas
Gestantes

Através do correto diagnóstico e tratamento, será possível devolver a beleza do sorriso, tornar a mastigação mais eficiente e saudável, abandonar o desconforto das próteses removíveis e devolver a harmonia facial

Portanto, procure um profissional de qualidade e obtenha maiores informações sobre o seu caso.

Abraço a todos,





Imagem: www.eroprotese.com.br

sábado, 26 de julho de 2014

Resinas e Facetas Cerâmicas



Odontologia Estética: Resinas e Facetas Cerâmicas
Por Helaine Cardoso Martins
CRO/PR 24.474

Você está satisfeito com o aspecto de seus dentes? Caso não esteja, o que incomoda mais? A cor, o tamanho, o formato...?
A Odontologia Estética é uma ciência que valoriza e restaura a harmonia facial e dental, restabelecendo também a nossa função mastigatória.

O que é um sorriso bonito?
A integridade de nossos dentes e a relação deles com as estruturas que os rodeiam (língua, parte interna da bochecha, etc.) compõem um conjunto de fatores que determinam a harmonia dos dentes e da face assim como a estética do sorriso e a preservação do sistema estomatognático (nosso sistema mastigatório).
Um sorriso harmônico pode ser proporcionado por técnicas restauradoras. Para isso, existem materiais específicos que são utilizados pelo cirurgião dentista com a finalidade de proporcionar um resultado satisfatório para o paciente sem abrir mão da saúde bucal.
A seguir, uma breve demonstração de alguns materiais disponíveis para realização dessas correções ou alterações, visto que vivemos em uma sociedade que cultua a beleza e se torna cada vez mais exigente com os resultados alcançados. 

A Resina Composta é indicada como material restaurador em dentes anteriores para pequenos fechamentos de espaços entre eles, pequenas alterações de forma e cor. Não requer desgaste do dente, pois ele é apenas condicionado para que tenha adesividade ao material resinoso.

Restauração em Resina Composta

Resina Composta

Quando vários dentes anteriores apresentam alterações de forma, estrutura e cor são indicadas as restaurações cerâmicas ou também chamado Laminados Cerâmicos ou Facetas. As vantagens desse tipo de material restaurador são:

Estabilidade de cor, alta resistência à fratura, rigidez semelhante ao esmalte que compõe nossos dentes, compatibilidade com tecidos da gengiva.

Desgaste necessário para posicionamento da Faceta



Facetas de Porcelana




Referências:

Hirata, Ronaldo
Tips: dicas em odontologia estética/ Ronaldo Hirata. –São Paulo: Artes Médicas, 2010.

Estética para o clínico geral/Maria Amélia Máximo de Araújo... [ET al.]- São Paulo: Artes Médicas, 2004.

Imagens:









quinta-feira, 24 de julho de 2014

Sisos - Por que remover?



Olá caros amigos e pacientes

Gostaria de conversar hoje sobre os Terceiros molares (Sisos), que são nossos últimos dentes a erupcionar, e que muitas vezes podem estar associados a patologias.

Antigamente, quando éramos carnívoros vorazes e vivíamos de caça e outros tipos de alimentação rudimentar, esses dentes eram utilizados na mastigação, porém com a evolução da espécie humana, a relativa diminuição do tamanho dos maxilares e alteração dessa alimentação, esses dentes acabaram por não efetuarem significativa diferença na mastigação e perda de seu espaço na boca.

Devido a essas alterações muitos dos terceiros molares acabam por não erupcionar ou erupcionar de forma errada, trazendo problemas para dentes adjacentes, mucosa e tecidos de suporte. Quando se erupciona parcialmente permite a penetração de microorganismos na região podendo causar até infecções graves e quando o referido permanece incluso, ele pode causar danos às raízes dos dentes vizinhos, causar a presença de cistos ou tumores e fragilizar a mandíbula (podendo causar fraturas).

A condição mais favorável para remover o Siso é quando as raízes não completaram sua formação (entre 14 - 17 anos), tornando sua remoção mais fácil, rápida e com menos perigo às estruturas vizinhas, como nervos e vasos que passam pela região, além de causar menos dor e inchaço pós-operatório.

Não esqueça de procurar um profissional habilitado para esta prática, ele solicitará os exames necessários para o seu caso e poderá lhe orientar de forma correta.


Um forte abraço,



segunda-feira, 21 de julho de 2014

CLAREAMENTO DENTAL



Caros amigos, clientes e colegas,

Desta vez venho aqui para conversar sobre um procedimento estético que já virou rotina em consultórios odontológicos e que muitos pacientes desejam.

Para realizar o clareamento dental, o paciente deve passar pela avaliação do Cirurgião Dentista para avaliar a condição periodontal ( gengiva e suporte dos dentes) e condição dos elementos dentais. Após a consulta e se o paciente estiver apto para receber este tratamento, o profissional poderá escolher basicamente entre duas opções: "Clareamento Caseiro" e "Clareamento de Consultório".

Clareamento Caseiro: realizado em casa, pelo paciente com a supervisão e orientação do Dentista, onde  o clareador é colocado em uma moldeira e agirá diariamente pelo tempo determinado pelo fabricante. Este método possui ótimos resultados quando existe a colaboração do paciente e demora cerca de 3-5 semanas para finalizar o adquirir melhora na coloração.

Clareamento de Contultório: realizado exclusivamente pelo Dentista, devido a concentração do produto, no consultório. Exige menos sessões para atingir um bom grau de clareamento porém as queixas de sensibilidade dentária são mais frequentes. 

Abaixo segue um caso realizado pela Disciplina de Dentística da UFPR através da associação dessas duas técnicas.


Muito Obrigado e boa semana,


Trabalho completo em www.odontologiacomestetica.com.br















quinta-feira, 17 de julho de 2014

Ronco e Apnéia

Caros pacientes e amigos,

Atualmente milhares de pessoas sofrem com o ronco e a apnéia noturna e suas consequências, problema que afeta homens e mulheres de diversas faixas etárias e influencia, inclusive, o convívio e a qualidade de vida de muitos casais.

Hoje em dia diversos tratamentos podem ser propostos, desde cirurgias como palatouvuloplastia ou cirurgia ortognática, variando de casa caso, até terapias menos invasivas como utilização de CPAP ou dispositivo intraoral confeccionado pelo Dentista. Para um correto diagnóstico do seu problema e sua possível causa é necessário procurar um Médico ou um Cirurgião Dentista habilitado para solicitação de exames.

Um dos possíveis exames que podem ser solicitados é a Polissonografia, que é um exame realizado durante o sono que avalia a qualidade do mesmo para possíveis rumos no tratamento.

A Cirurgia Ortognática consiste no reposicionamento dos maxilares, de forma cirúrgica, para uma melhor posição da muscularuta de suporte das vias aéreas visando a melhor passagem do ar, procedimento que merece um post exclusivo devido sua complexidade e indicação ser também relacionada a outras condições.

O dispositivo intraoral simula esse reposicionamento da mandíbula para uma posição mais anterior, sem cirurgia, visando a resolução momentânea deste problema. Porêm este método não deve ser considerado um meio definitivo de resolução, pois o paciente deve dormir sempre com o aparato para evitar a apnéia noturna.

Portanto, para um conhecimento mais aprofundado, sugiro que procure seu Médico ou Dentista para avaliação do seu caso e suas possíveis soluções.

Sem mais para o momento, desejo a todos um forte abraço,






*imagem coletada de http://saude.culturamix.com/

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Obrigado

Caros clientes, amigos e colegas, É com muita satisfação que coloco esse Blog no ar, local onde procurarei postar a minha visão sobre a Odontologia e tudo que a envolve, desde tratamentos modernos até curiosidades. Meu nome é Josemael Ribas Filho, sou Cirurgião Dentista formado pela UFPR e que no momento está atuando em Curitiba, onde procuro oferecer aos meus clientes o que existe de mais moderno e eficiente na área de cirurgia oral. Desde já, gostaria de agradecer à todos que me motivaram e tornaram esse momento possível, pessoas (professores, amigos, familiares e pacientes) que através destes 10 anos de estudo em Odontologia formaram meu conhecimento teórico, prático e ético.